TUBAÍNAS E AFINSTubaínas e AfinsTele História
Inicial
Notícias
Tubaínapédia
Youtubaina
Empresas
Onde Encontrar
Quem Somos
Anuncie
Contato


 
 
 
 
» Afrebras
 
» Bar, Bebida & Propaganda
 
» Bebidas e Afins
 
» Blog do Refri
 
» Cartão de Visita
 
» Expo Bebidas & Serviços
 
» Refrigerando
 
 
 


6
4
ago
2011
 Notícia do portal iG: Aquisição da Schincariol é mau negócio para Kirin, diz jornal
6

Postado por
Redação Tubaínas e Afins
  



O jornal Financial Times afirma, em um artigo publicado na terça-feira, que o grupo japonês Kirin está pagando um valor exagerado pela Schincariol. "As companhias japonesas como a Kirin podem ser inteligentes ao comprarem companhias no exterior enquanto os custos dos empréstimos estão baixos (no país) e o iene está valorizado, mas isso não quer dizer que elas deveriam assinar cheques em branco", diz o jornal inglês.

As ações da AmBev são negociadas por 10 vezes a sua geração de caixa em 2010, medida pelo Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização).

Tamando por base os R$ 4 bilhões pagos pela Kirin aos sócios da Schincariol, a empresa foi avaliada em 16 vezes o seu Ebitda, um múltiplo muito alto até mesmo para os padrões das transações no setor de cerveja nos mercados emergentes.

Há uma lógica por trás da decisão da Kirin de comprar a cervejeira brasileira Schincariol, diz o Financial Times. A Kirin obtém mais de 40% de sua receita com a venda de bebidas alcoólicas, em grande parte de cerveja, no Japão. A empresa precisa encontrar alternativas ao envelhecido mercado japonês, onde as vendas de cervejas estão caindo há mais de uma década.

O Brasil é o terceiro maior mercado de cerveja do mundo: as vendas no País crescem a uma taxa média composta de 12% ao ano nos últimos cinco anos.“Quem pode culpar a Kirin por pagar um belo preço por uma chance de beber na eterna fonte da juventude comercial brasileira? Especialmente quando o iene está tão forte”, escreve o Financial Times.

Mas, se olhada mais de perto, essa lógica torna-se frágil. Até agora, a Kirin concentrou todas as suas ambições fora do Japão em mercados na região da Ásia do Pacífico. Ela não possui outro ativo significativo na América Latina e não sugeriu que a aquisição da Schincariol é o primeiro de futuros movimentos na região. Portanto, não haverá sinergias substanciais.

Quanto ao iene, a moeda japonesa de fato se fortaleceu em relação a muitas moedas, mas vem se mantendo nivelada com o ascendente real brasileiro nos últimos dois anos.

E mais. A Schincariol também é comparável à AmBev, o maior concorrente no Brasil. A participação de 70% de mercado da AmBev transforma os 15% da Schincariol em uma anã. Controlada pela Anheuser-Busch InBev, a AmBev apresentou uma margem operacional de 40% em 2010, enquanto a Schincariol operou com 4% de margem.

Fonte: iG

 
COMPARTILHAR
 
 
 
COMENTAR
 
 
NOME
 
E-MAIL
 
CIDADE -
 
COMENTÁRIO
 
CÓD. DE SEGURANÇA CÓDIGO DE SEGURANÇA 1414
 
 
 




 
1
jul
 
  Degustação: Guaraná de maçã Cabeça de Bugre
 
 
 
2
set
 
  Degustação: Maça Ouro - Franca (SP)
 
 
 
30
jun
 
  Degustação na Redação: Fotos da degustação no jornal Tribuna, de Ribeirão Preto (SP)
 
 
 

 
 
1
 
 
  Deu no site ES Hoje: Grupo Coroa anuncia expansão e nova apresentação dos produtos
 
 
 
2
 
 
  Direto do Chile
 
 
 
3
 
 
  Recebemos Guaraná São Carlos e Jubaína
 
 
 
4
 
 
  Cerpa Sustentável
 
 
 
5
 
 
  Notícia do site EmbalagemMarca: Refrigerantes Big começam a ser produzidos no Brasil
 
 
 
 
 
28
out
 
  Efeito pandemia: Coca-Cola vai deixar de fabricar 200 marcas de refrigerante
 
 
 
1
out
 
  Fábrica Bebidas Biri faz 23 anos e destaca apoio à comunidade, no RS
 
 
 
1
out
 
  Fábrica Refrigerantes Cibal faz 58 anos
 
 
 
CONFIRA TODAS AS NOTÍCIAS
 
 
 
 

 

 
 
 
 
 
CONFIRA MAIS VÍDEOS
 
 
 
 
 
 
 
 
© TUBAÍNAS E AFINS | Um site do Grupo Compartilha Brasil | Cartão de Visita

| Inicial | Notícias | Tubaínapédia | Youtubaína | Empresas | Onde encontrar? | Quem somos | Anuncie | Contato |